Esquerda x Direita

Direita e esquerda políticas: crítica ao senso comum

by / 2 Comments / 34 View / 28 de julho de 2014

É árdua a tarefa de definir e distinguir direita e esquerda, ou ao menos saber se tal distinção faz sentido prático ou teórico, e admito que isso fez com que eu, pessoalmente, me afastasse da discussão por acreditar que ela não pudesse trazer benefícios no que diz respeito a um entendimento sério, acadêmico a respeito. Não acredito que essa diferenciação, surgida no século XVIII na França por ocasião das revoluções, tenha acompanhado as complexidades do capitalismo e da política mundiais, mas serve como ponto de partida para algo mais complexo. Portanto, me faço na obrigação de defender aqui meu ponto de vista – de inúmeros outros pontos de vista existentes acerca do assunto – e elencar as definições que estão, de fato, equivocadas, pois, claro, há diferenças entre pontos de vista divergentes e pontos de vista conceitualmente errados, e, infelizmente, o Brasil está abarrotado deles.

Iniciarei explicando o que NÃO é esquerda e direita, ou seja, justamente essa distinção equivocada, que preenche as universidades e o imaginário dos jovens idealistas; tal definição foi elencada, por exemplo, na edição de junho do jornal Le Monde Diplomatique: “A diferença básica é o que se faz com a riqueza produzida. O neoliberalismo mobiliza a sociedade e seus recursos para aumentar o lucro das empresas, especialmente das transnacionais, não importa o custo social. A esquerda quer que essa riqueza se transforme em bem-estar para toda a sociedade e busca justiça social.”

Nesta definição típica, a distinção se dá por valores morais objetivos e exclusivos: de um lado temos a esquerda que se preocupa com os pobres e o povo, (moralmente bons) e do outro temos a direita que quer dinheiro acima de tudo e a destruição do Estado (moralmente maus). Nem preciso mencionar a estreiteza desse raciocínio – é obvio que esta concepção é rasa – pois nem esquerda, tampouco direita, possuem um conjunto de valores absolutos e exclusivos, e este maniqueísmo que demoniza a direita indica a total inclinação ideológica e parcial deste pensamento; digo que a moral nada tem a ver com isso, pois é subjetiva, pessoal, e não deve interferir em um debate sério, portanto, tal pensamento é nocivo a um entendimento pleno, e mais se aproxima de doutrinação ideológica.

Iniciando, então, aquilo o que eu acho ser uma definição razoável, lembro-me do direito constitucional e do conflito de princípios fundamentais – valores que regem a Carta Magna, e que, por vezes, entram em conflito entre si no caso concreto -, e lembro-me disto por que é justamente, de forma superficial, o que acredito ser a esquerda e direita. É muito simples: a direita utiliza os valores da liberdade como base para suas argumentações, para suas idéias, enquanto a esquerda utiliza os valores da igualdade para desenvolver sua lógica.

Veja que a direita não nega a igualdade e a esquerda (honesta) não nega a liberdade, mas ambas pesam estes princípios fundamentais de forma diferentes, tem graus de importância diferentes, ao contrário do que escrito na reportagem da citada revista Le Monde Diplomatique, ou seja, a direita não nega ou exclui a justiça social (mantra da esquerda caviar), mas sim acredita que a mesma se dá através da liberdade de mercado, por exemplo (de forma superficial). É importante sabermos que não há um conjunto definido de valores absolutos para ambos os lados, que não há receita de bolo, e que a tomada de decisões vai sempre depender do caso concreto. A diferença é a base para as ações, que residem nos princípios de liberdade e igualdade.

Poderia me alongar mais, mas não acredito que esse seja o propósito de um blog. É importante apenas sabermos que não se deve tomar decisões a partir de dogmas ideológicos, mas analisar de forma imparcial cada questão, e, por fim, se perguntar no que acredita que tornará a questão mais justa.

2 Comment

  1. Diferença entre Esquerda e Direita política, através de gráficos: http://www.esquerdaxdireita.blogspot.com.br/

  2. Gostei da sua definição, a definição usual nunca me convenceu…
    Parabéns pelo blog!

Your Commment

Email (will not be published)