Feminismo X Sexismo

1 a af feminismo

Por motivos diversos, no contexto de globalização que vivemos, assistimos diversas vezes a mulheres que se intitulam “feministas”, sendo muitas vezes “sexistas” devido ao fato de simplesmente não saberem do que se trata o feminismo.
A minha intenção não é criar um texto que defenda o machismo ou qualquer coisa parecida, é simplesmente denunciar um fato que me parece consequência da chamada “sociedade líquida” (termo cunhado por Zygmunt Bauman). Alguns seres do sexo feminino, ao invés de pesquisar, estudar, enfim, se interessar pelo movimento social chamado de “feminismo” para se declararem orgulhosamente seguidoras do movimento social, somente exercem ações que privilegiam entes do determinado sexo, a qualquer custo, se achando as mais feministas do mundo, dessa forma se adequando na definição de sexistas, segundo o “Dicionário da Língua Portuguesa Houaiss”, se.xis.mo – “atitude de discriminação baseada no sexo”.
O imediatismo atual (referencia a Bauman outra vez), que leva também a preguiça e a falta de interesse, somado a chance do status de um símbolo de mulher forte e decidida, faz muito atrativo apenas denegrir o sexo masculino como sendo o maior símbolo do movimento defendido. Nesse caso a ideia da reivindicação é altamente distorcida, algo que originalmente defende a equiparação, se transforma em atacar o sexo oposto aleatoriamente, sem se preocupar realmente se tem direitos ou deveres completamente iguais, como fez Sheron Osbourne (mulher de Ozzy Osbourne) em seu programa “The Talk” ao rir de um homem que teve seu pênis cortado pela mulher.
Quero defender a ideia corretíssima de mulheres que se preocupam com a igualdade plena para com os homens, o que raramente acontece hoje em dia. Não é estranho ouvir a mesma mulher se dizendo completamente adepta ao movimento feminista, aceitando pagar menos pela entrada da balada. Nesse caso, a querida leitora pode argumentar que defende sim o direito da mulher a participação social, o direito a um salário digno, e o direito ao tratamento igual, e que até se vê contra o menor preço do ingresso feminino, (o que não está errado) mas o que falta são os deveres, o dever de pagar a mesma quantia pelo entretenimento, o dever de alcançar uma carreira e se tornar independente, e a digna defesa desses direitos e deveres sem se posicionar contra o sexo masculino.
Creio que existam ainda seres humanos do gênero feminino que realizem uma brilhante defesa contra o machismo, os tabus, e qualquer outra coisa que retire a igualdade para com os homens, e que, devam reclamar seus direitos, assim como deveres equivalentes.
Gostaria de provocar uma reflexão sobre o que as mulheres teoricamente defendem em comparação com suas atitudes, e como podem mudar essa situação. Feministas de verdade de todos os países, uni-vos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Be Sociable, Share!

Ateia humanista secular, ex-missionaria cristã, cinéfila, apaixonada por arte, amante de literatura e filosofia, leitora compulsiva, autora do blog Vivendo e Construindo. Graduanda em Letras-Português pela Universidade Federal do Pará, Coordenadora da Aliança Estudantil Secularista UFPA, Diretora de movimento estudantil da Liga Humanista Secular do Brasil, Construindo a Assembleia Nacional dos Estudantes - Livre, Militante da Juventude PSTU (Socialista, SIM!).

13 Responses to Feminismo X Sexismo

  1. claiton disse:

    Gente concordo com as mulheres pagarem menos na balada, afinal a balada em si não é o entretenimento alvo que esta sendo vendido e sim a mulher que lá estará, ou vcs serão tão hipócritas assim de pensar que uma danceteria ou qualquer tipo de entretenimento publico o produto maior será a festa? claro que não a mulher sempre foi e sempre será o "produto" alvo de qualquer entretenimento. EU NÃO IRIA A UMA FESTA SEM MULHER.

    • Marcelo disse:

      Claiton
      aposto que você nem deve ter lido esse post
      olha o feminismo pede para serem reconhecidos do mesmo modo
      tamto sexualmente como tambem socialmente
      o movimento não iria adiantar nada se na festa a mulher se tonar um objeto de desejo…

  2. ddimensoes disse:

    Parabéns aos comentários da Jacqueline, e aos outros. Aqui repito o que foi dito: A idéia inicial foi boa, mas faltou pesquisa séria, e por fim te fez fazer papel de bobo.

  3. Jaqueline Rodrigues disse:

    Agora, minhas palavras são para a Sociedade Racionalista. Por mais que goste das muitos materiais aqui disponibilizados, sendo, sem dúvida, uma das páginas, mais educativas, que participo; não me surpreendeu, absolutamente, em nada, um texto tão parcial, pobre em embasamento, sobre em tema, postado aqui. Desde que li, uma colocação, de um texto, postado por uma mulher, que dizia que não era feminista, que era a favor da igualdade do direito entre os sexos… Bom, se ela é ou não, não sei, embora, por essas colocações, parece estar mais para a segunda alternativa; porém, com certeza, desconhece, bastante ou totalmente, seu fundamento teórico, entretanto, curiosamente, quis citar o assunto em seu artigo… Enfim, se já foi permitida uma postagem, com um erro teórico, crasso desses, por que não isso aí também?

    Decepcionante!!! Justo na véspera do Dia Internacional da Mulher! Ainda mais, ao observar, as normas, delimitas, para publicação: “Não aceitamos textos com pseudociências, proselitismo religioso e teorias da conspiração”. Poderiam também, não como um padrão fixo, mas norteador; dar uma olhada nas referências embasadas para postagem da matéria, não acham? Se o tema é, por exemplo, feminismo, o quanto o autor leu sobre o assunto? Não é verdade?

    Desculpe a sinceridade, mas, como participante desta página, simpatizante e interessada em ler sobre feminismo, digo que este tipo de postagem INRESPONSÁVEL; É RESPONSAVEL PELO REFORÇO A DESMOTIVAÇÃO A PESQUISA POR HOMENS E MULHERES SOBRE O TEMA. Reavaliem o conceito de vocês, na hora de escrever sobre este; matérias sobre o feminismo não é o forte daqui; até o momento, a melhor página, que conheço que o aborda, é a compartilhe cidadania.

    DISPONIBILIZO ALGUNS LINKS; POIS, CONVIDO A TODOS, A INTRODUÇÃO A LEITURA SOBRE ESSE TEMA. TENHO CERTEZA, QUE APÓS ISSO, TEREMOS MADURAS E PRODUTIVAS DISCUSSÕES.

    Fontes:
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Feminismo
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Sufr%C3%A1gio_femini
    http://www.observatoriodegenero.gov.br/menu/notic

    • ddimensoes disse:

      mas tu curte umas vírgulas, hein?

    • Gustavo Andrade disse:

      Jaqueline, você usou tanta vírgula pra parecer culta que acabou por destruir a leitura do seu texto. Enfim, tirando a falta de argumentos de sua réplica, irei resumir o que achei do texto.

      Hoje sabemos muito bem que o feminismo é um movimento do qual as mulheres buscam igualdade entre os sexos, ainda mais em uma cultura machista, permeada de situações onde o homem leva vantagem.

      Porém, nas leves nuances da vida, encontramos várias mulheres que se dizem feministas mas na verdade defendem o sexismo, ou seja, se põe como diferentes para julgar o homem, que, de certa forma, me parece correto pois eu já me deparei com vários exemplos.

      Portanto, o texto não quer explicar o que o feminismo é, mas quer mostrar que existem várias mulheres que estão confundindo a idéia do feminismo e estão defendendo uma bandeira antagônica, a do sexismo.

      Então, o exemplo da mulher que disse que não era feminismo a luta pela igualdade, serviu para elucidar esses casos e não para definir o conceito de feminismo como você defendeu.

      Em última instância, recomendo ler melhor o texto do qual você comenta, além do claro, um uso mais adequado do português.

      Abraços

  4. Jaqueline Rodrigues disse:

    Em segundo lugar, feminista, meu querido, não é uma mulher que ri ao ouvir que outra cortou o pênis de um homem; este tipo de afirmação, dificilmente é oriundo de uma delas, mas sim, de muitas mulheres mantenedoras de pressões ideológicas como o machismo, que a sua forma, parca, de lutar “contra” ele, é ao fazer uma “provocaçãozinha” dessas …

    Em terceiro lugar, sobre o dever da mulher em pagar a mesma entrada que o homem:

    Por acaso, já ouviu falar nas desigualdades sociais, entre os sexos??? Segundo, o estudo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), as mulheres latino-americanas, ganham menos, mesmo que, possuam um maior nível de instrução. Segundo esta pesquisa, os homens ganham 10% a mais que as mulheres, e se estes têm a mesma idade e nível de instrução, a diferença sobe para 17%. No Brasil, a discrepância salarial chega a 30%.

    Em contrapartida, o número de mulheres chefes de família aumentou 79%, entre os anos 1996 a 2006. Muitas são mais que independentes, já que, provavelmente, assumiram este papel, sozinhas; já que, infelizmente, não são poucos os homens que “desistem” DE PARTE DE SEU DEVER para com sua família…

    Então, trata-se de tratar os desiguais, de formas diferentes, até a busca da igualdade. Logo, quando se cria políticas, para uma mulher pagar meia-entrada, PERMITE-SE QUE AS QUE NECESSITEM, POSSAM TER, AS MESMAS OPORTUNIDADES, (diferente de privilégios) de um homem – a ter acesso a cultura, entretenimento, dentre outros serviços; para sua qualidade de vida. É óbvio que são medidas temporárias, é um estágio para ao objetivo da equanimidade, que, apenas, será alcançado com a organização de mulheres e homens, mentes abertas, para tal.

    • Cassio disse:

      Isso sim, trata-se de um comentário verdadeiramente oportunista e falacioso, justificando diferenças salariais como base para alcançar a equanimidade.

      Mulheres querem sim pagar meia entrada, querem sim nao rachar a janta, enfim…

      Menos sexismo aqui.

  5. Jaqueline Rodrigues disse:

    Não gostei da matéria. Já li outros gêneros bem melhores por aqui. O autor coloca (como forma de defesa) que há muitas mulheres que não sabem, por não se informarem, sobre este assunto; as quais se declaram feministas, mas, que, na verdade, seriam sexistas. Suas palavras só atestam o quanto é mal informado sobre o movimento, e nem, para publicar um artigo sobre, se esforçou para fazê-lo.

    Meu caro:

    Em primeiro lugar, já que, nenhum poste, desta página, até agora, registrou corretamente, a ideologia do feminismo; faço o seguinte resumo: trata-se de uma corrente social, política e filosófica (questiona a estrutura patriarcal das sociedades); composto por DIVERSAS, FRENTES DE LUTA, EM PROL DO DIREITO DE IGUALDADE ENTRE HOMENS E MULHERES, tais, como, o feminismo cultural, feminismo pragmático (seu foco é a defesa da comunidade, das operárias), feminismo desconstrutivista, dentre outras. Esta multiplicidade de identidades ocorre, por existirem diversos tipos de opressões sociais e lutas pelo poder, nas sociedades, e, numa mesma, sociedade. Embora, seu principal escopo, no século XXI, seja promover mais direitos as mulheres do oriente.

    Infelizmente, existe uma vertente, do feminismo, considerada dissidente, denominada feminismo radical, que é sexista; mas esta é composta por um grupo – muito pequeno – e, lamentavelmente, a mídia e pessoas desinformadas e impregnadas por ela como você, e o(s) responsável(is) pela autorização desse tipo de publicação – extrapolam às demais.

  6. Araceli disse:

    Gostei da postagem. E as donas-bundas-da-vida também trabalham, e se ganham dinheiro por causa do corpo é porque isso vende. O corpo feminino é usado como produto. Mas não é por isso que somos estupradas, até porque a maioria das vítimas são mulheres independentes, que criam confiança de estudar despois do trabalho, que precisam aproveitar o seu dia ao máximo. E quando por fim, exaustas vão para casa, aparece um louco e as violentam. Justo? Tudo o que uma mulher tem de melhor está no meio de suas pernas? Não querem nosso dinheiro, nosso carro, nosso celular ou relógio, apenas nos violar. Para mostrar que ainda somos a presa. Conquistamos mais direitos, só falta acabar com as restrições.

  7. Monica disse:

    Lucas,quanta futilidade! Da proxima vez que quiser escrever um texto sobre feminismo,sexismo,lutas das mulheres,faça-o de forma séria,inteligente,com bases concretas,pesquise (senão melhor não fazê-lo).Ou mais uma vez vc estara se expondo ao ridiculo.

  8. Poderia explicar melhor quais são esses deveres a que se refere?
    Porque igualdade ao meu ver é diferente de "direitos e deveres".
    Igualdade é ser tratado com o mesmo respeito independente do sexo.
    Porém, deveres tem a ver com condições. Uma pessoa é capaz de realizar tarefas físicas de acordo com sua estrutura física.
    É ridículo ver os machistas de plantão (e AS machistas também) cobrarem das mulheres ações que requerem força física dizendo "Não quer direitos iguais? Então faz isso!"
    Na parte financeira faz tempo que mulher não depende mais de homem para se bancar – exceto aquelas que foram criadas para casar com "homem rico", as donas bundas da vida- percebo até um número crescente de homens que são sustentados por mulheres.
    A mulher já provou há tempos que tem raciocínio suficiente para competir no mercado de trabalho e inteligência emocional para criar seus filhos, muitas vezes sem maridos, basta agora as sociedades machistas como a brasileira encarar esse fato.

  9. Alice disse:

    Pelo título achei que a discussão seria mais interessante. Aceitar que o homem pague pela balada é discussão de boteco feita por leigos, eu esperava mais a discussão sobre as mulheres que se intitulam feministas mas acham que o homem deve estar abaixo da mulher, invertendo os papéis ao invés de os equipará-los. Essas mulheres mancham o nome do movimento feminista, que nada mais é do que a luta pela IGUALDADE de direitos e deveres, segurança e dignidade para as mulheres, etc (acho que o texto poderia tratar melhor do que realmente é o feminismo também).

    Enfim, eu concordo com a essência, mas gostaria de ver um texto mais sério sobre o assunto (apenas dei exemplos bem resumidos). Ninguém na sociedade deve ser subjugado, nem homens, nem mulheres, nem negros, nem brancos, nem indígenas, nem gays ou héteros, etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>