img_6444

MÚSICO DE BAR. AS VOZES DA NOITE

[Translate] O que seriam das nossas noites de fins de semana e feriados, geralmente exaustivos e cansativos, se não fossem os famosos barzinhos? O que a maioria costuma fazer, é sair e descontrair Leia »

NinaSimone

9 motivos pelos quais você também deveria lutar contra o racismo

[Translate] Por Gabriela J. Moura 1 – Você faz parte disso Certa vez uma pessoa me disse que os debates sobre racismo são exagerados, pois ela não via razões para discriminar alguém Leia »

machismo-na-sociedade-atual-8

Como se fabrica um machista

[Translate] É menino. Vai ser comedor. Tem a cara do tio. Não vem com essa roupinha amarela, amarelo é coisa de veado. Coloca tudo azul. Azul e preto. Tá crescendo. Adora passar Leia »

dados ipea errata thomas conti latuff sociedade racionalista

Abandono da Razão marca a “Polêmica do IPEA” sobre a violência contra mulheres

[Translate] [Texto originalmente publicado no Blog Thomas Conti] Desde o primeiro resultado da pesquisa do IPEA sobre violência contra as mulheres no Brasil a sociedade está em um intenso debate, porém não Leia »

cotas-raciais

Cotas Raciais

[Translate] [Texto originalmente publicado no blog Carta Polêmica] Desde o anúncio do Governo Federal de que universidades federais agora passariam a ter uma porcentagem de 50% reservada à alunos da rede pública Leia »

MÚSICO DE BAR. AS VOZES DA NOITE

img_6444

O que seriam das nossas noites de fins de semana e feriados, geralmente exaustivos e cansativos, se não fossem os famosos barzinhos? O que a maioria costuma fazer, é sair e descontrair em um bar qualquer, na companhia dos amigos, com boas conversas e uma noite regada à boa música. O que se torna uma diversão pra uns, pra quem está lá em cima do palco, é fonte de trabalho e amor pela música.

9 motivos pelos quais você também deveria lutar contra o racismo

NinaSimone

Por Gabriela J. Moura

1 – Você faz parte disso

Certa vez uma pessoa me disse que os debates sobre racismo são exagerados, pois ela não via razões para discriminar alguém por sua cor de pele. É um raciocínio romântico achar que, por não fazermos parte do grupo que discrimina, basta jogar o assunto para debaixo do tapete. Tendo o preconceito ao nosso redor diariamente, ainda que de forma involuntária, somos parte disso. Por exemplo, quando minimizamos a gravidade de um ato discriminatório ou quando presenciamos uma cena e não fazemos nada a respeito. Também fazemos parte quando não questionamos o modelo de sociedade que estamos vivendo. A não ser que você viva em uma realidade paralela, onde todos são iguais de fato, você faz parte disso.

Como se fabrica um machista

machismo-na-sociedade-atual-8

É menino. Vai ser comedor. Tem a cara do tio. Não vem com essa roupinha amarela, amarelo é coisa de veado. Coloca tudo azul. Azul e preto. Tá crescendo. Adora passar a mão no bumbum das coleguinhas. É um garanhão.
Não vai fazer Dança, nem Volêi. Isso é coisa de veado. Bota esse moleque no futebol. Ou numa luta. Qual o problema em bater no colega? Ele tinha aquele jeitinho de moça mesmo. Tem que apanhar. Tem que aprender a ser homem desde criança. Filho gay é falta de coro.
Engole o choro, moleque. Chorar é coisa de mulherzinha. Homem não tem que se emocionar. Macho que é macho não sente isso.

Abandono da Razão marca a “Polêmica do IPEA” sobre a violência contra mulheres

dados ipea errata thomas conti latuff sociedade racionalista
[Texto originalmente publicado no Blog Thomas Conti]
Desde o primeiro resultado da pesquisa do IPEA sobre violência contra as mulheres no Brasil a sociedade está em um intenso debate, porém não é difícil achar quem renuncie aos fatos tendo em vista seus interesses pessoais, eleitoreiros ou ideológicos. Nesse artigo vamos entender um pouco melhor sobre essa polêmica e apresentar um quadro geral da situação das mulheres no país.

Cotas Raciais

cotas-raciais

[Texto originalmente publicado no blog Carta Polêmica]

Desde o anúncio do Governo Federal de que universidades federais agora passariam a ter uma porcentagem de 50% reservada à alunos da rede pública e além disso, uma porcentagem (não fixa e dentro dessas vagas) para alunos negros e pardos, esse assunto se tornou polêmico e gera discussões entre aqueles que possuem diferentes opiniões. Mas, na opinião desse autor, não há nada mais idiota do que uma opinião formada sem informação.

Extroversão/Introversão: uma interpretação científica

SER-EXTROVERTIDO2

Você gosta de jogar conversa fora? Prefere um papo em particular ou atividades em grupo? Estas e várias outras perguntas muitas vezes servem como testes de personalidade para revelar quão introvertido ou extrovertido você é, mas o que isso realmente significa? Conheça a ciência por trás de uma pessoa ser expansiva, ou preferir ficar quietinha no seu canto lendo um livro.

Darwinismo social, racismo e dominação – Uma visão geral

encontro

Os negros têm pele escura porque sua região de origem, a África, recebe intensas radiações ultravioleta. Como o excesso de sol é nocivo à saúde, a pele escura protege o organismo e mantém o nível de ácido fólico (vitamina do complexo B) no corpo, garantindo, assim, a descendência sadia, pois a deficiência de folato em mulheres grávidas pode causar graves defeitos no feto. Ao migrarem para ambiente onde o sol é mais fraco, como a Europa, os seres humanos passaram a nascer com uma pigmentação mais clara, enquanto recurso de sobrevivência para melhor recepcionar e armazenar a escassez dos raios solares, essenciais para a formação das vitaminas A e D, evitando, entre outros problemas, que as pessoas fiquem raquíticas e anêmicas, pois é a vitamina D que responde pelo sistema imunológico e pelo desenvolvimento dos ossos. O naturalista Charles Darwin resume a adaptação do homem à natureza, convencido de que a evolução é uma série de erros bem-sucedidos.

O toque feminino que revolucionou a biologia

arton3316

Há muitos anos comecei a estudar bioquímica e, como todo bom curioso, sempre tive a necessidade de saber porque razão as coisas recebem os nomes que tem ou são como são. Para este tipo de curiosidade a bioquímica é um campo farto. Quando iniciei o mestrado interessei-me mais pelas proteínas e isso me fez mergulhar fundo em questões de nomenclatura, modificações pós-traducionais e massas isotópicas de aminoácidos.

Dica Literária: O Intelectual – O Poder Positivo do Pensamento Negativo

steve-fuller-o-intelectual_MLB-F-3384576432_112012

A proposta desta coluna é apresentar de forma descontraída os livros mais influentes, ascendentes, transparentes e auto-aderentes deste nosso louco mundo craniano. Onde quer que exista algo interessante, lá estarão meus olhos para verificar e apresentar aos curiosos como eu, para que também percam tempo com os mesmos pensamentos. Porém, nenhum tempo é perdido se você faz o que gosta, já diria nosso caro e até barato (se pechincharmos) Bertrand Russell.

Demanda por mudanças – ou não

consumo

[Tradução de “Shopping for change — or not”, de Harley Schwadron]

Após o horrível colapso de um prédio em Bangladesh em abril passado matar 1.127 trabalhadores de uma fábrica de roupas, você ficou tão ultrajado que prometeu nunca mais comprar roupas de marcas que negociam com aquela fábrica? Você mudou seu comportamento de consumo? Meses depois, você ainda se lembra do desastre quando vai comprar roupas?